Indo à Igreja

Mesmo no caso de pouco interesse pela religião organizada, ainda assim, é possivel que se tenha o desejo pelo ambiente que possa existir em uma igreja – um sentimento de reverência diante de algo que é maior do que nos mesmos. A experiência da Igreja é realmente uma coisa verdadeira?

O Guia: Na realidade, o lugar é no mais profundo do seu ser. Esse é o verdadeiro local onde você encontra Deus – e não num edifício em particular ou em imagens e símbolos. Ele só está em você, em seu caminho, na forma como você vivencia a vida, na consciência que se desenvolve a partir das profundezas do seu ser e que tornam a experiência de Deus uma realidade viva que permeia todo o seu cotidiano e que não pode ser separado da chamada vida mundana.

Agora, se alguém tem a necessidade de ir a um determinado lugar, porque pode ouvir uma música agradável ou há o Silêncio, não existe nada a ser dito contra isso. Mas esteja atento ao exteriorizar a religião dessa forma porque isso pode levar a um caminho de erros e encorajar os pontos mais fracos numa pessoa.

Ir a uma igreja não deveria ser uma necessidade. Algumas pessoas podem se sentir mais inspiradas lá, mas certamente não é um pré-requisito para a descoberta da verdade do Espírito Divino dentro de si mesmo.

(Perguntas e Respostas #157)

 

A religião cristã ou, especificamente, a Igreja Católica conseguiu sobreviver até o presente, enquanto as religiões gnósticas, mais de acordo com os ensinamentos do Pathwork, não sobreviveram. Por que isso aconteceu? 

O Guia: O poder exterior muitas vezes traz o sucesso exterior. Talvez por conter mais verdade, o impulso de poder era menor na religião gnóstica. Mas isso não quer dizer que o poder interior da verdade não trouxesse de fato mais sucesso no sentido verdadeiro, mesmo que fosse menos perceptível. A manifestação exterior pode, também nesse caso, levar você a acreditar que isso é injusto. Acontece a mesma coisa com as pessoas. Você pode perguntar por que certas pessoas têm tanto sucesso exterior, quando são egoístas e muito falhas em termos de maturidade e amor. A esta altura, precisamos chegar a um acordo sobre o significado de sucesso. Um homem de negócios, “bem-sucedido”, poderoso e financeiramente bem de vida, pode apresentar, em seu íntimo, muita inquietação e infelicidade, culpa e ansiedade, mas ninguém fica sabendo por causa da fachada muito convincente. Portanto, ele não é realmente bem-sucedido no que mais importa: a felicidade, a segurança interior, a paz interior.

Da mesma forma, a poderosa Igreja que você menciona é bem-sucedida apenas por fora, mas o sucesso interior não corresponde ao exterior. Os ensinamentos da verdade negligenciados das religiões gnósticas podem parecer externamente frágeis porque hoje você conhece poucos defensores deles. Mas internamente, subsiste uma força que você pode absolutamente não ver nem conhecer. Você pode ignorar totalmente a forte influência que ela tem sobre as forças cósmicas – alguns poucos exercem uma influência infinitamente maior do que muitos, apesar da extensão do poder exterior que a “religião bem-sucedida” tenha.

Também nesse caso é uma questão de cultivar a capacidade de perceber o conteúdo interior de algo, e não sua manifestação exterior. Desse ponto de vista, o sucesso não está sempre onde você o vê. Mesmo que muitas pessoas sejam adeptas da Igreja, muitas outras, em maior número, não são.

E muitas das que são adeptas são seguidoras sem entusiasmo ou superficiais, que não entendem realmente do que se trata. Isso não é força, portanto não é sucesso. Enquanto as poucas pessoas que se voltam para os ensinamentos da verdade sem poder, qualquer que seja a forma que assumam em diferentes períodos da história, essas poucas pessoas deixam uma marca no universo que não pode ser medida pelo olho humano.

Os esforços e o entendimento de um punhado dessas pessoas são mais importantes para o sucesso universal, no verdadeiro sentido, do que milhares de pessoas que vão à igreja.

 

Isso explica a razão do declínio e virtual desaparecimento da religião gnóstica? 

Guia: Ela não desapareceu. Ela reapareceu e reaparece constantemente sob outra forma. Mas ela tem que reaparecer porque toda verdade sempre tende a ser diluída e distorcida pelas massas, que não estão prontas para entendê-la. Portanto, ela fica rarefeita quando os poucos que de fato a entendem deixam esta terra e deixam a herança desses ensinamentos nas mãos de pessoas que muitas vezes têm boa vontade e bons propósitos, mas não podem lidar com a questão da maneira certa. Com o passar do tempo, essa verdade fica cada vez mais rígida, e portanto não verdadeira.

Assim, é preciso criar novos canais, e a mesma verdade reaparece sob nova forma, talvez  adaptada à civilização e às características da época em questão.

Não houve nenhuma época da história em que a verdade não apareceu entre algumas pessoas. Ela foi ensinada e disseminada mas, como eu disse, a maior parte da humanidade ainda era imatura demais para usá-la internamente. Ao fazer regras e regulamentos exteriores, foram impostas restrições que distorceram a verdade. É por isso que toda religião, como foi fundada, continha a verdade.

Se você fizer um estudo minucioso, vai ver que todas as religiões, também as tradicionais, continham a centelha vital da verdade. Mas quando começaram a se espalhar, a verdade minguou, e passou a prevalecer a letra, e não o espírito da religião.

A humanidade não entende a essência da verdade ou da religião porque não quer entender. Ela quer se apoiar nos dogmas e regras para não precisar pensar, encarar, ser responsável por suas decisões. Dessa forma, a verdade é pervertida. Isso tem acontecido desde o início dos tempos e continuará, eu creio, ainda por algum tempo. Mas com o passar do tempo, cada nova manifestação  de verdade penetra um pouco mais fundo e atinge mais pessoas, cujas almas já evoluíram o suficiente para ter esse anseio.

Você vai ver que mais pessoas entendem a verdade hoje do que há algumas centenas de anos, ou há apenas cinqüenta anos, embora nem sempre exatamente nos mesmos termos. A difusão de algumas ciências e da psicologia deu uma grande contribuição nesse sentido. A essência e a base da psicologia, se você se aprofundar o suficiente, sempre chega à psique e revela as verdades espirituais essenciais proclamadas pelos poucos sábios em todos os tempos.

(Palestra do Guia Pathwork #74)

Próxima Página